"Como ocorria em faladores Rosa Antuña assume um papel específico: além de dançar, canta e balbucia um idioma inventado - como um ser falador. A quem é dado um lugar diferenciado, à altura das ressonâncias e experimentações dos seus, digamos assim, canais de expressão.
Mais que bailarina, uma artista em plenitude" - Miguel Anunciação para o Hoje em Dia - Belo Horizonte

PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES E WORKSHOPS

2015
* Belo Horizonte:
- 22 de setembro - CRModa - A Mulher que Cuspiu a Maçã - 19:30h (Cena-Música)
- 20 de agosto - CC Vila Santa Rita - A Mulher que cuspiu a Maçã - 19:00h (Cena-Música)
- 18 de agosto - CCJardim Guanabara - A Mulher que cuspiu a Maçã - 19:00h (Cena Música)
- 17 de julho - CRModa - A Mulher que Cuspiu a Maçã - 21:00h (Cena Música)
- 7 a 10 de maio - CCBB - A Mulher que Cuspiu a Maçã - ESTREIA NACIONAL

* Brasília
- 22, 23 e 24 de abril - Teatro da Caixa - Trilogia do Feminino

2014
* Holstebro, Dinamarca:
- 12 e 17 de dezembro - A Mulher que Cuspiu a Maçã, direção Roberta Carreri - (Núcleo de Criação Rosa Antuña) - Ensaio Aberto - work in progress - Odin Teatret

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Ilha do Rodeadouro

Estou em Aracaju, lembrando da Ilha do Rodeadouro...

No dia seguinte à festa na Ilha do Massangano, foi o dia de ir mergulhar no Velho Chico!
Saímos do hotel eu, Mário, Helinho, Tice e Sérgio, nosso motorista e fomos para a Ilha do Rodeadouro. Fica um pouco depois da Ilha do Massangano. Eu estava ansiosa! Pegamos a balsa, atravessamos o Chico, e de dia, fiquei encantada! Chegamos na ilha e fomos recebidos por camaleões! Tem muitos lá!



Esta ilha já tem uma estrutura mais turística, por isso tem muitos bares na beira do rio, onde dá até para almoçar. Comemos um peixe saborosíssimo!

E bem... sou câncer com lua em câncer e ascendente em peixes! Tudo água! Sou filha de Yemanjá. Nem preciso dizer que quando entrei pela primeira vez nas águas do São Francisco, por lá fiquei. Nossa! Como foi bom! fazia um calor tão forte! E a água não era tão fria! Pensava que fosse mais! Fiquei pela beira do rio, até onde dava pé. E mesmo ali tinha uma correnteza suave. Mais para o meio dava para ver que a correnteza era muito forte.



O garçom que nos atendeu nos contou algumas histórias de afogamentos no São Francisco! Inclusive o primo dele morreu afogado lá, estava bêbado. É. Dirigir bêbado e nadar no rio bêbado são péssimas idéias! Ele ainda contou que salvou um homem que ao chegar em terra firme virou as costas sem sequer um "obrigado". Mas o melhor foi ele contando que foi ajudar um outro homem que estava se debatendo no fundo. Ele o buscou, foi chegando perto da margem e o homem se debatendo, gritando que estava afogando, aquele vexame. Até que ele, o garçom dono desta história disse ao homem: "rapaz! Tu tá no seco! Tu tá no seco! Bote o pé no chão homi!" kkkkkkkkkkkkkkkkk.

... e essa foi mais uma história do São Francisco!



Nenhum comentário:

Postar um comentário