"Como ocorria em faladores Rosa Antuña assume um papel específico: além de dançar, canta e balbucia um idioma inventado - como um ser falador. A quem é dado um lugar diferenciado, à altura das ressonâncias e experimentações dos seus, digamos assim, canais de expressão.
Mais que bailarina, uma artista em plenitude" - Miguel Anunciação para o Hoje em Dia - Belo Horizonte

PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES E WORKSHOPS

2015
* Belo Horizonte:
- 22 de setembro - CRModa - A Mulher que Cuspiu a Maçã - 19:30h (Cena-Música)
- 20 de agosto - CC Vila Santa Rita - A Mulher que cuspiu a Maçã - 19:00h (Cena-Música)
- 18 de agosto - CCJardim Guanabara - A Mulher que cuspiu a Maçã - 19:00h (Cena Música)
- 17 de julho - CRModa - A Mulher que Cuspiu a Maçã - 21:00h (Cena Música)
- 7 a 10 de maio - CCBB - A Mulher que Cuspiu a Maçã - ESTREIA NACIONAL

* Brasília
- 22, 23 e 24 de abril - Teatro da Caixa - Trilogia do Feminino

2014
* Holstebro, Dinamarca:
- 12 e 17 de dezembro - A Mulher que Cuspiu a Maçã, direção Roberta Carreri - (Núcleo de Criação Rosa Antuña) - Ensaio Aberto - work in progress - Odin Teatret

domingo, 12 de maio de 2013

Um cometa...

Estava indo tudo bem...
até um cometa passar na minha vida.
Estava tudo sob controle.
Estava tudo sob medida...
mas um cometa assim, tão raro
é algo que realmente perturba
pois nos tira do lugar seguro,
agita todas as águas
e os seres das águas então...
caem do mar e na terra perdem o ar.

Estava indo tudo bem...
até um cometa passar na minha vida
e eu, como um ser da água,
 caída na terra, sem fôlego...
busco agora o caminho de volta pro mar...
Queria poder levar este cometa comigo...
mas não tenho a menor ideia
de quando ele passará novamente...

Cometa incandescente...
Estrela do céu...
que me tirou das águas profundas do oceano
e me fez sorrir depois de muito tempo...
E num susto, num grito,
fez com que meus cabelos
dançassem ao vento
enquanto deles brotavam flores...

Estava indo tudo muito bem...
até você me provar a sua existência...
Pois nas águas profundas em que eu vivia
jamais imaginaria te encontrar
cometa raro...
se você não puder vir comigo pro mar
me leva então com você para o céu,
dança comigo e me ensina a voar.

- me busca.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Façamos algo, enquanto estamos vivos

Os teatros são a nossa casa. Onde nos expressamos, onde crescemos, trocamos, construímos, aprendemos. O Teatro é a casa de todos, que acolhe pessoas na plateia e faz aflorar sentimentos, emoções, risos, lágrimas... reflexões... O Teatro é a... casa do pensamento sensível. O Teatro é casa que faz possível a construção de um novo mundo com a ruptura de paradigmas... O Teatro é um templo de Arte, de Saber... A existência e conservação de um Teatro representa a consciência do homem em continuar em busca de crescimento e auto-consciência. Cada Teatro vivo e bem preservado deve ser um orgulho para seu País, para seu Estado , para sua Prefeitura, para cada cidadão.


Por outro lado cada Teatro destruído é uma vergonha para a Prefeitura, para os Governos Estadual e Federal. Fechar um Teatro representa um retrocesso no pensamento e na Cultura de um País. É sim, um ato de violência. É sim, uma afronta. O Teatro Klauss Vianna é nosso, dos artistas, do público, de cada ser lúcido que ainda vive em nossa sociedade. E com qual direito o Teatro Klauss Vianna irá acabar? Para virar o Tribunal de Justiça do Estado? E precisa acabar com Teatro, na entrada do prédio por isso?

Um Teatro fechado é um ato de repressão. Para quem trabalha o Governo? Para quem trabalha a Prefeitura?

Pois como cidadã brasileira, mineira, de Belo Horizonte e artista, quero fazer algo para impedir que o Teatro Klauss Vianna seja fechado. Não consigo aceitar isso calada. Um Teatro fechado é uma nação morta. Morta em conhecimento, entendimento de cultura. Nação morta em seu poder de ação e escolha.

Somos nós quem construímos a nossa história, não eles.

Façamos algo já. Drástico.

Enquanto estamos vivos, porque o que eles querem é que estejamos mortos.

Rosa Antuña

A Sagração da Primavera - Pina Bausch

Vexame na Cultura em BELO HORIZONTE!!!!!!!!!

VIDA LONGA AO TEATRO KLAUSS VIANNA!!!!!


Havia em Belo Horizonte o teatro Municipal... na Rua da Bahia, lá embaixo, com Rua Goiás... então destruíram o Teatro Municipal e construíram o Cinema Metróle... então o Bradesco veio e acabou com o Cinema Metrópole e virou o Bradesco... em contrapartida... o Bradesco financiou a construção de um Teatro maravilhoso, num prédio do Estado, no alto da Av Afonso... Pena... na época era o prédio da Telemig... então virou Oi. E o teatro virou nosso querido Teatro Oi Futuro Klauss Vianna... E agora o que vai acontecer se não fizermos nada? O prédio será transformado no TJ e destruirão o Teatro Klauss Vianna. A falta de noção continua viva no Estado de Minas Gerais. Uma vergonha pública.

Reformaram o Mineirão para a copa... e porque mesmo vão destruir um Teatro tão bom, que está sempre com a casa lotada?

Queremos que o Teatro Klauss Vianna se mantenha íntegro.

Mais que isso: respeitem a arte, a cultura, os artistas e os teatros de Minas Gerais.

Rosa Antuña

terça-feira, 7 de maio de 2013

Arieta

Acabo de ver Luis Arieta em cena, como convidado, no espetáculo do Balé Jovem do Palácio das Artes, em Belo Horizonte.

Isso foi suficiente para que eu compreendesse muita coisa sobre Dança e Arte.
Compreendi o que é a constância. O que é uma escolha de vida.
O que é a grandeza do simples.
O que é a arte e a calma do gesto.
O que é um movimento pleno de sentido e significado...

Senti o poder da Dança, que escolhe alguns para manifestá-la em seus corpos por toda a vida.
Senti o poder da Dança que nos mantém vivos e nobres.
Nobres bailarinos, artistas do traço, que desenham com seus corpos texturas no espaço, recheadas por sentimentos, emoções, intenções... sensações.

Sensação de segurança foi o que tive ao vê-lo em cena.
Sensação de que sim... nossa carreira pode ser muito longa e sólida e digna.

E vê-lo dançar foi para mim um presente.
Vê-lo dançar foi, sem dúvida, uma inspiração.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

saudade

hum... Ai que saudades tenho da Bahia...

VIVADANÇA!

O Festival Internacional VIVADANÇA teve seu encerramento ontem e foi um sucesso aqui em BH.
Tem crescido a cada ano e promovido um lindo intercâmbio cultural na área da dança. Começou em Salvador e se expandiu também para outras cidades e estados do País.

Fico particularmente muito feliz quando vejo eventos assim ganhando cada vez mais espaço, conquistando e formando público, fomentando discussões positivas para o crescimento dos profissionais e estudantes da área...

Festivais assim ajudam a endossar a importância da dança dentro da cultura e da formação de um indivíduo. Ajudam a fortalecer a posição do profissional de dança no Brasil, trazendo à tona a responsabilidade da dança como agente transformador através do olhar sensível do ser humano.

Vida longa para o festival VIVADANÇA!
 Que cresça mais e mais!!!